A Vingança do Dragão!

Meio-dragão Azul

 

Após esta batalha sangrenta em que os Alma-Forjados mostraram mais uma vez o seu valor e sacrifício, todos foram recuperados pela magia divina do nobre anão Hurik, o qual pronunciou palavras de motivação aos aliados e exaltação a Moradin: “Mais uma batalha vencida meus irmãos, comemoremos e brindaremos a isto futuramente com muita cerveja! Graças ao grande Moradin, através de suas bençãos podemos viver mais um dia de luta!”.

O grupo se enche de orgulho e satisfação, porém o dever está longe do fim, os Alma-Forjados voltam a focar em seu objetivo e começam a vasculhar o salão.

Inicialmente, encontram aberto em uma das mesas um mapa simples da área de Greenfields mostrando as aldeias que o culto atacou e saqueou, neste mapa uma flecha é esboçada dos Greenfields em direção ao oeste e a cidade de Beregost no Caminho do Comércio, onde a flecha vira para o norte. Vêem também uma folha separada de papel coberta com algarismos em colunas que contém a nota: “Tudo deve ser transportado para o norte, para Naerytar. Rezmir nos permitiu guardar algumas pérolas, um anel e um punhado de pedrinhas”.

Posteriormente o grupo continua vasculhando os salões da caverna e Badhor, ao lado de Shazi encontram uma passagem estranha e, possivelmente perigosa, enquanto Hurik e Aeron vasculham dois baús e uma mesa cheia de pergaminhos com escritos dracônicos muito antigos. Os baús contém vários tecidos finos e uma roupa roxa igual as vestes da Sacerdotisa de Tiamat Frulam Mondath.

Fegriel pareceu não se importar muito com os itens, porém fica intrigado com um sobrevivente aprisionado pelo grupo. Ele se aproxima do prisioneiro e tenta retirar informações. Sem sucesso e reconhecendo que esses cultistas são criaturas ensandecidas, o meio-elfo retira a cabeça do priosioneiro e tranca em um dos baús encontrados.

Aeron e Shazi continuam investigando outros salões da caverna enquanto Fegriel e Badhor estudam aquela passagem estranha e abrem seu alçapão. Badhor desce primeiro, prontamente seguido por Fegriel. Avaliando que o local poderia ser perigoso, a dupla decide que Fegriel deveria seguir sozinho para não chamar atenção de possíveis inimigos e percebem que estavam corretos em tomar tais precauções, pois a frente tem-se um lago ácido, dois dragões de pedra, um de 5 cabeças muito pareceido com Tiamat e um outro dragão negro. As duas estátuas são guardadas por um humanóide grande que Fegriel não consegue reconhecer. O grupo decide que este caminho não seria o mais seguro, fecha o alçapão e segue por outros corredores da caverna.

Neste outro caminho, Shazi envia seus ursos na frente para que possa proteger o grupo de possíveis armadilhas, momento no qual os heróis se deparam com cogumelos venenosos, morcegos e sanguessugas por seu caminho. Todas estas criaturas os atacam, indicando que a caverna fica mais perigosa a cada metro avançado em seu interior e trazendo mais preocupação para o grupo, mas os Alma-Forjados são destemidos e seguem em frente sem hesitar.

Um tempo depois o grupo encontra uma trifurcação, um caminho com um cheiro horrível de podridão a leste, um caminho ao sul e o terceiro ao norte. Neste último, o qual decidem seguir, Hurik descuidadamente passa por uma armadilha venenosa e fica confuso e agressivo, atacando ferozmente o que aparecer em frente, porém é contido por seus aliados e se recupera lentamente. Momento no qual uma bifurcação é encontrada, uma lado com um caminho escuro e outro com um portão trancado. Fegriel abre o portão sobre uma pequena ponte e o grupo segue furtivo, no entanto quando menos esperam, inimigos aparecem de todos os lados e o grupo se depara com lagartos gigantes, kobolds e kobolds voadores. Esta batalha extremamente desafiadora e mortal deixou o grupo com muitos ferimentos, porém os Alma-Forjados saem com êxito e muitas cicatrizes.

Ao investigar os salões entre os quais saíram tantos inimigos, os heróis encontram um pequeno tesouro com moedas de ouro e prata, talismãs e amuletos de dragão esculpidos em osso, pedra-sabão, madeira e marfim. O acabamento da maioria dos artefatos é terrível, mas quatro deles têm um talento artístico único, embora selvagem.

O grupo segue andando na caverna, agora em direção sul e encontra novamente o salão com as estátuas de dragões gigantes. Neste instante descobrem o humanóide que guarda o local, junto com um grupo de kobolds. Ele é Brelbidaig irmão de Mylbe, o meio-dragão que Fegriel havia derrotado como campeão da cidade de Greenest. Brelbidaig, ao ver Fegriel, se consome de ódio e sofrimento pela perda de seu irmão e, em busca de vingança, desafia para uma batalha 1 a 1 contra o campeão do povo, o herói de Greenest e lenda de Faerûn, Fegriel o destemido.

Fegriel inicia a batalha com uma magia de luzes a frente de Brelbidaig, as luzes vão tomando forma e se assemelham a Mylbe. Isto desconserta o meio-dragão e da uma oportunidade de Fegriel começar a batalha com vantagem. Após o primeiro ataque, Brelbidaig não consegue mais conter todo o ódio que sente em seu coração e segue ferozmente atrás de Fegriel, que se distancia atacando e se escondendo nos lugares escuros da caverna. O meio-elfo luta de forma tão rápida e elegante que faz o meio-dragão retornar raivoso, acionar seus companheiros e atacar os alma-forjados, descumprindo o desafio de luta mortal que seria somente entre Fegriel e o meio-dragão. Após mais uma batalha dura e sofrida, os alma-forjados vencem os inimigos com honra, sacrifício e união e encontram o salão mais profundo da caverna, com os elementos mais valiosos guardados por todos os seguidores de Tiamat!

2 thoughts on “A Vingança do Dragão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.